Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Beckmann D.V.

#1 - Focal spinal hyperesthesia as a prognostic factor in paraplegic dogs without deep pain perception

Abstract in English:

Intervertebral disc extrusion (IVDE) is the most common cause of spinal cord compression in dogs, whose prognosis is variable and depends on several factors, with deep pain perception (DPP) being the main parameter used. Investigations of new prognostic factors are studied to assist in the estimation of functional recovery. Thus, this study aimed to evaluate whether spinal hyperesthesia (SH) at the compression site can be used as a prognostic factor for the functional recovery of dogs with acute IVDE (Hansen type I), without DPP being subjected to thoracolumbar hemilaminectomy. Decompression surgery was performed on the same day or the day after admission. The duration of the loss of DPP until surgery performance ranged from 1 to 60 days, with a median of 4.5 days for the group of dogs with SH and 5.5 days for those without SH. Among the 68 dogs included in this retrospective study, 73.5% (50/68) showed SH, and 26.5% (18/68) were not identified. Recovery was satisfactory in 60% (30/50) of dogs with SH and in 27.7% (5/18) of dogs without SH, demonstrating that paraplegic dogs without DPP but with SH were 3.9 times more likely to recover when compared to dogs in the same condition, but with no SH. No studies have evaluated SH by palpation of the spine as a prognostic factor, which reinforces the relevance of the present study. The results of this study imply that SH in paraplegic dogs affected by thoracolumbar IVDE, without the presence of DPP, can be used as a possible prognostic indicator of functional recovery.

Abstract in Portuguese:

A extrusão do disco intervertebral (EDIV) é a causa mais comum de lesão compressiva na medula espinhal de cães, cujo prognóstico é variável e depende de diversos fatores, sendo a percepção de dor profunda (PDP) o principal parâmetro utilizado. Pesquisas de novos fatores prognósticos são estudados com intuito de auxiliar na estimativa mais precisa de recuperação funcional. Com isso, o objetivo do estudo foi avaliar se a hiperestesia espinhal (HE) no local da compressão, pode ser utilizada como um fator prognóstico para recuperação funcional de cães com extrusão aguda do disco intervertebral (Hansen tipo I), sem a presença de PDP submetidos a hemilaminectomia toracolombar. A cirurgia descompressiva ocorreu no mesmo dia ou no dia seguinte ao atendimento. A duração da perda de dor profunda até a realização da cirurgia variou de 1 a 60 dias, com uma mediana de 4,5 dias para o grupo de cães com e 5,5 dias para aqueles sem hiperestesia espinhal. Dos 68 cães incluídos nesse estudo retrospectivo, 73,5% (50/68) apresentavam HE e, em 26,5% (18/68) a dor não foi identificada. A recuperação foi satisfatória nos cães com HE em 60% (30/50) e, sem HE, em 27,7% (5/18) dos casos, demonstrando que os cães paraplégicos sem PDP, mas com presença de hiperestesia espinhal tem 3,9 vezes mais chances de recuperação quando comparado com cães na mesma condição, mas sem HE. Não foram encontrados trabalhos que avaliaram a HE mediante a palpação da coluna vertebral como um fator prognóstico, o que reforça a relevância do presente estudo. Os resultados do presente trabalho sugerem que a HE em cães paraplégicos acometidos por EDIV toracolombar sem presença de PDP pode ser utilizada como um possível indicador prognóstico de recuperação funcional.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV
-->