Resultado da pesquisa (2)

Termo utilizado na pesquisa pig breeding

#1 - Natural and experimental salinomycin poisoning associated with the use of florfenicol in pigs

Abstract in English:

This study describes the spontaneous and experimental salinomycin poisoning associated with the use of florfenicol and warns about the effects of the administration of antibiotics to animals that receive ionophores in the feed as growth promoters. A batch with 1,200 finishing pigs fed a diet containing 30ppm of salinomycin received florfenicol (60ppm via feed) to control respiratory diseases. Twenty-seven pigs had difficulty walking, tip-toe walking, muscle tremors, and anorexia seven days after the start of treatment. Twenty-two animals died, 10 recovered, and two were sent to the Laboratory of Animal Pathology of CAV-UDESC to be necropsied. The experimental reproduction of the disease was carried out to clarify the possible influence of florfenicol on salinomycin poisoning using 12 pigs divided into four groups with three animals each, treated for 16 days with diets containing no additives (Group 1), 50ppm of salinomycin (Group 2), 40ppm of florfenicol (Group 3), and 50ppm of salinomycin and 40ppm of florfenicol (Group 4). Only animals in Group 4 became ill. The clinical disease was reproduced from the ingestion of 24.67mg/kg/LW of salinomycin and 19.74mg/kg/LW of florfenicol. Both natural and experimental salinomycin poisoning associated with the use of florfenicol caused a condition of myopathy characterized in histology by hyaline degeneration and floccular necrosis of skeletal fibers, with macrophage infiltrate, associated with the figures of regeneration in skeletal muscles and multifocal areas of the proliferation of fibroblasts, being more intense in the longissimus dorsi and semimembranosus muscles. Therefore, florfenicol can cause the accumulation of ionophore salinomycin in the animal organism, resulting in a condition of toxic myopathy.

Abstract in Portuguese:

O presente trabalho descreve as intoxicações espontânea e experimental por salinomicina associada ao uso de florfenicol e alerta sobre os efeitos da administração de antibióticos aos animais que recebem ionóforos na ração como promotores de crescimento. Um lote com 1.200 suínos em fase de terminação, alimentados com ração contendo 30ppm de salinomicina, recebeu florfenicol (60ppm via ração) para o controle de doenças respiratórias. Sete dias após o início do tratamento, 27 suínos apresentaram dificuldade de locomoção, “caminhar em brasa”, tremores musculares e anorexia. Vinte e dois animais morreram, 10 recuperaram-se e dois foram encaminhados ao Laboratório de Patologia Animal (CAV-UDESC) para serem necropsiados. Para esclarecer a possível influência do florfenicol na toxicidade da salinomicina foi realizada a reprodução experimental da doença utilizando 12 suínos, divididos em 4 grupos com 3 animais cada, tratados por 16 dias com rações contendo: Grupo 1 = sem aditivos, Grupo 2 = 50ppm de salinomicina, Grupo 3 = 40ppm de florfenicol e Grupo 4 = 50ppm de salinomicina e 40ppm de florfenicol. Somente os animais do Grupo 4 adoeceram. A doença clínica foi reproduzida a partir da ingestão de 24,67mg/kg/PV de salinomicina e 19,74 mg/kg/PV de florfenicol. Tanto a intoxicação natural quanto a experimental por salinomicina associada ao uso de florfenicol provocaram um quadro de miopatia caracterizado na histologia por degeneração hialina e necrose flocular das fibras esqueléticas, com infiltrado macrofágico, associada às figuras de regeneração na musculatura esquelética e áreas multifocais de proliferação de fibroblastos, sendo mais intensas nos músculos longissimus dorsi e semimembranoso. Conclui-se que, o florfenicol tem a capacidade de ocasionar o acúmulo do ionóforo salinomicina no organismo animal, resultando em um quadro de miopatia tóxica.


#2 - Research and extension action for parasitic control in pig breeding families located in Tanguá, Rio de Janeiro

Abstract in English:

This study aimed to analyze the parasites infesting pigs and their producers on family farms in Tanguá, RJ, Brazil, and to conduct extension activities between 2018 and 2019. Fecal samples were collected from 132 pigs, as well as, skin scrapings from the ears of 125 animals. In addition, 36 stool specimens from farmers and their families were analyzed. The collected material was processed by direct examination, sedimentation and flotation techniques. Gastrointestinal parasites were detected in 88.6% of the pigs, especially coccidia (71.8%), Balantioides coli (55%), strongyles (40.2%) and Strongyloides ransomi (31.6%) which showed statistically significance (p<0.05). Ectoparasites were identified in 16% of the pigs, mostly Sarcoptes scabiei var. suis (76.2%). Parasites were detected in 19.4% of the humans, including, Entamoeba coli (19.4%), Ascaris lumbricoides (8.3%) and Trichuris trichiura (5.5%). The frequency of B. coli and S. scabiei var. suis (p<0.05) were statistically significant, when analyzing the age group of the animals, having been more detected in the older years, fatterners phase. The pig farmers participated in these activities extension, which included lecture and “field day”, aimed at imparting information about parasites and their prophylaxis. The situation in Tanguá pig farms reinforces the need to carry out programs that provide technical support to these farmers, whose livelihood depends on pig farming.

Abstract in Portuguese:

Este estudo objetivou analisar os parasitos que infectam suínos e seus produtores em propriedades familiares em Tanguá, RJ, Brasil, realizando atividades extensionistas entre 2018 e 2019. Amostras fecais foram coletadas de 132 suínos, bem como raspados da pele da orelha de 125 animais. Além disso, 36 amostras fecais dos produtores e seus familiares foram analisadas. O material coletado foi processado pelo exame direto e por técnicas de sedimentação e flutuação. Parasitos gastrointestinais foram detectados em 88,6% dos suínos, principalmente coccídios (71,8%), Balantioides coli (55%), estrôngilos (40,2%) e Strongyloides ransomi (31,6%) que apresentaram significância estatística (p<0,05). Ectoparasitos foram identificados em 16% dos suínos, principalmente Sarcoptes scabiei var. suis (76,2%). Parasitos foram detectados em 19,4% das amostras fecais humanas, incluindo Entamoeba coli (19,4%), Ascaris lumbricoides (8,3%) e Trichuris trichiura (5,5%). A frequência de B. coli e S. scabiei var. suis foi estatisticamente significativa (p<0,05), quando se analisou os animais por faixa etária, tendo sido principalmente detectado nos animais mais velhos, como na fase de terminação. Os produtores de suínos participaram ativamente das atividades de extensão, incluído a palestra e a atividade “dia de campo”, que tinham como objetivo mediar informações sobre parasitos e suas medidas profiláticas. A situação nas granjas familiares de Tanguá demonstra a necessidade de realização de programas que apoiem tecnicamente esses produtores, que utilizam a suinocultura como fonte de subsistência.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV
-->