Resultado da pesquisa (2)

Termo utilizado na pesquisa de Oliveira L.B.

#1 - A five-year surveillance study of vaccination schedules using viral-vectored vaccines against infectious laryngotracheitis in a high-density layer region

Abstract in English:

The effectiveness of vectored recombinant vaccines to control infectious laryngotracheitis (ILT) in chickens from a region (State of Minas Gerais, Brazil) with ~10 million layers was evaluated under field conditions from 2014-2018. During this period, only recombinant turkey herpesvirus (rHVT) or fowl poxvirus (rFPV) vaccines that express antigens of infectious laryngotracheitis virus (Gallid herpesvirus-1; GaHV-1) were used. Layer chickens (n=1,283), from eight different egg-producing companies, were individually sampled and examined (active surveillance), and in instances when government poultry health veterinarians were notified due to respiratory disease (passive surveillance). Clinical, macroscopic, and histopathology examinations were performed to diagnose ILT as well as molecular techniques for the detection and characterization of the GaHV-1 DNA from the trachea and trigeminal ganglia (TG). The layer hens sampled and examined belonged to flocks and farms that used different vaccination protocols (non-vaccinated, single dose vaccination, and prime/boost vaccination). This is the first long-term field study of the effectiveness of ILT vectored vaccines in a high-density multiple age layer hen region. Using various diagnostic methods, the occurrence of GaHV-1 infection and ILT clinical disease in layer hens vaccinated with vectored recombinant vaccines in one quarantined region of Brazil were investigated. The number of ILTV positive chickens by PCR and ILT clinical disease cases was lower in farms when all chickens were vaccinated with at least one vaccine. However, the difference in the detection rates of GaHV-1 infection was significant only when compared farms with prime/boost and farms using single dose of HTV-LT.

Abstract in Portuguese:

A efetividade das vacinas recombinantes vetorizadas para o controle da laringotraqueíte infecciosa (LTI) nas aves de uma região (Minas Gerais, Brasil) com aproximadamente 10 milhões de poedeiras foi avaliada em condições de campo, no período de 2014 a 2018. Durante este período, somente as vacinas recombinantes “turkey herpesvirus” (rHVT) ou “fowl poxvirus” (rFPV), que expressam antígenos do vírus da laringotraqueíte (Gallid herpesvirus-1; GaHV-1) foram utilizadas. Galinhas poedeiras (n=1.283), de oito diferentes granjas produtoras de ovos, foram individualmente amostradas e examinadas por monitoramento ativo e, na ocorrência de notificação de doença respiratória aos veterinários do serviço oficial, por monitoramento passivo. Exames clínicos, macroscópicos e histopatológicos foram realizados para o diagnóstico de LTI, bem como técnicas moleculares para a detecção e caracterização do DNA de GaHV-1 da traqueia e gânglio trigêmeo. As galinhas poedeiras pertenciam a lotes e granjas que usavam diferentes protocolos de vacinação (não vacinadas, uma dose ou tipo de vacina e duas doses ou tipos de vacina). Este é o primeiro longo estudo a campo sobre a efetividade das vacinas vetorizadas em uma região com população elevada de poedeiras de múltiplas idades. Utilizando vários métodos de diagnóstico, a ocorrência da infecção por GaHV-1 e a LTI clínica em poedeiras de uma região interditada do Brasil foi investigada. O número de galinhas positivas para o vírus GaHV-1 e para casos clínicos de LTI nas granjas foi menor quando todas as aves estavam vacinadas com, pelo menos, um tipo ou dose de vacina. Entretanto, a diferença na taxa de detecção da infecção por GaHV-1 foi significativa somente quando a comparação foi realizada entre granjas com aves vacinadas com duas doses e aves de granjas vacinadas com uma única dose de HVT-LT.


#2 - Evaluation of actions of the official veterinary service to mitigate outbreaks of infectious laryngotracheitis and improve biosecurity on laying hen farms

Abstract in English:

Infectious laryngotracheitis (ILT), caused by an Alphaherpesvirus (Gallid herpesvirus-1; GaHV-1), has been noticed in the region of the Terras Altas da Mantiqueira, Minas Gerais. From 2010 to 2018, the “Serviço Veterinário Oficial” (SVO) of the “Instituto Mineiro Agropecuário” (IMA), implemented measures to prevent spread of the virus to other regions and control the disease in the area. Due to the close proximity and consequent epidemiological link among farms, the region was considered a unique epidemiological unit. To check the efficiency of the ILT control measures, we carried out: (1) a seroepidemiological survey, (2) questionnaires for evaluating biosecurity measures; and (3) an evaluation of the influence of farm population density on the occurrence of ILT. In 2016, 2017, and 2018, ILT was investigated using epidemiological and clinicopathological methods, along with GaHV-1 molecular detection. Serological survey was carried out on 24 farms in the quarantined region and on 13 farms from other regions of the state. In 2010 and 2018, questionnaires were applied to collect data and determine indicators of biosecurity practices in all farms of the quarantined area. The differences were then assessed (Wilcoxon’s p<0.05). The results indicated positive serology throughout the region, although only on four farms (16.6%) the chickens have clinical signs, macroscopic and histological lesions of ILT. The prevalence of viral infection increased from 2016 (27%) to 2017 (50%) and was higher in farms with a high stock density (p=0.033). No disease, virus or antibodies were detected in the farms outside of the quarantined area. Although the biosecurity indicators had improved on all farms in the quarantined area (p<0.05), the virus was active and circulating in the region. The contingency measures have contained the outbreak, but biosecurity practices are paramount in the control of new outbreaks. Official control will be maintained in the region, including surveillance of new cases and biosecurity procedures to mitigate the risk of the virus reaching other regions.

Abstract in Portuguese:

Laringotraqueíte infecciosa (LTI), causada por um alfaherpesvírus (herpesvírus Gallid-1; GaHV-1), foi observada na região das Terras Altas da Mantiqueira, Minas Gerais. De 2010 a 2018, o Serviço Veterinário Oficial (SVO) do Instituto Mineiro Agropecuário (IMA) implementou medidas para impedir a disseminação do vírus para outras regiões do estado e controlar a doença na região interditada. Devido à proximidade e consequente vínculo epidemiológico entre as granjas, a região foi considerada uma unidade epidemiológica única. Para verificar a eficiência das medidas de controle de LTI, foram realizados: (1) pesquisa soroepidemiológica, (2) questionários para avaliar medidas de biosseguridade; e (3) avaliação da influência da densidade populacional da granja na ocorrência de LTI. Em 2016, 2017 e 2018, a LTI foi investigada usando métodos epidemiológicos e clínico-patológicos, com a detecção molecular de GaHV-1. O levantamento sorológico foi realizado em 24 granjas da região interditada e em 13 granjas de outras regiões do estado. Em 2010 e 2018, foram aplicados questionários para coletar dados e determinar indicadores de medidas de biosseguridade em todas as granjas da área interditada. As diferenças foram avaliadas (p<0,05 de Wilcoxon). Os resultados indicaram sorologia positiva em toda a região, embora apenas em quatro granjas (16,6%) as galinhas apresentaram sinais clínicos, lesões macroscópicas e histológicas da LTI. A prevalência de infecção viral aumentou de 2016 (27%) para 2017 (50%) e foi maior em fazendas com alta densidade de alojamento (p=0,033). Presença da doença, vírus ou anticorpos foram detectados nas granjas fora da área interditada. Embora os indicadores de biosseguridade tenham melhorado em todas as fazendas da área interditada (p<0,05), o vírus está ativo e circulava na região. As medidas de contingência contiveram o surto, mas as práticas de biosseguridade são fundamentais para o controle de novos surtos. O controle oficial será mantido na região, incluindo a vigilância de novos casos e procedimentos de biosseguridade para mitigar o risco de transmissão do vírus para outras regiões.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV
-->