Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa Martins N.R.S.

#1 - A five-year surveillance study of vaccination schedules using viral-vectored vaccines against infectious laryngotracheitis in a high-density layer region

Abstract in English:

The effectiveness of vectored recombinant vaccines to control infectious laryngotracheitis (ILT) in chickens from a region (State of Minas Gerais, Brazil) with ~10 million layers was evaluated under field conditions from 2014-2018. During this period, only recombinant turkey herpesvirus (rHVT) or fowl poxvirus (rFPV) vaccines that express antigens of infectious laryngotracheitis virus (Gallid herpesvirus-1; GaHV-1) were used. Layer chickens (n=1,283), from eight different egg-producing companies, were individually sampled and examined (active surveillance), and in instances when government poultry health veterinarians were notified due to respiratory disease (passive surveillance). Clinical, macroscopic, and histopathology examinations were performed to diagnose ILT as well as molecular techniques for the detection and characterization of the GaHV-1 DNA from the trachea and trigeminal ganglia (TG). The layer hens sampled and examined belonged to flocks and farms that used different vaccination protocols (non-vaccinated, single dose vaccination, and prime/boost vaccination). This is the first long-term field study of the effectiveness of ILT vectored vaccines in a high-density multiple age layer hen region. Using various diagnostic methods, the occurrence of GaHV-1 infection and ILT clinical disease in layer hens vaccinated with vectored recombinant vaccines in one quarantined region of Brazil were investigated. The number of ILTV positive chickens by PCR and ILT clinical disease cases was lower in farms when all chickens were vaccinated with at least one vaccine. However, the difference in the detection rates of GaHV-1 infection was significant only when compared farms with prime/boost and farms using single dose of HTV-LT.

Abstract in Portuguese:

A efetividade das vacinas recombinantes vetorizadas para o controle da laringotraqueíte infecciosa (LTI) nas aves de uma região (Minas Gerais, Brasil) com aproximadamente 10 milhões de poedeiras foi avaliada em condições de campo, no período de 2014 a 2018. Durante este período, somente as vacinas recombinantes “turkey herpesvirus” (rHVT) ou “fowl poxvirus” (rFPV), que expressam antígenos do vírus da laringotraqueíte (Gallid herpesvirus-1; GaHV-1) foram utilizadas. Galinhas poedeiras (n=1.283), de oito diferentes granjas produtoras de ovos, foram individualmente amostradas e examinadas por monitoramento ativo e, na ocorrência de notificação de doença respiratória aos veterinários do serviço oficial, por monitoramento passivo. Exames clínicos, macroscópicos e histopatológicos foram realizados para o diagnóstico de LTI, bem como técnicas moleculares para a detecção e caracterização do DNA de GaHV-1 da traqueia e gânglio trigêmeo. As galinhas poedeiras pertenciam a lotes e granjas que usavam diferentes protocolos de vacinação (não vacinadas, uma dose ou tipo de vacina e duas doses ou tipos de vacina). Este é o primeiro longo estudo a campo sobre a efetividade das vacinas vetorizadas em uma região com população elevada de poedeiras de múltiplas idades. Utilizando vários métodos de diagnóstico, a ocorrência da infecção por GaHV-1 e a LTI clínica em poedeiras de uma região interditada do Brasil foi investigada. O número de galinhas positivas para o vírus GaHV-1 e para casos clínicos de LTI nas granjas foi menor quando todas as aves estavam vacinadas com, pelo menos, um tipo ou dose de vacina. Entretanto, a diferença na taxa de detecção da infecção por GaHV-1 foi significativa somente quando a comparação foi realizada entre granjas com aves vacinadas com duas doses e aves de granjas vacinadas com uma única dose de HVT-LT.


#2 - Evaluation of actions of the official veterinary service to mitigate outbreaks of infectious laryngotracheitis and improve biosecurity on laying hen farms

Abstract in English:

Infectious laryngotracheitis (ILT), caused by an Alphaherpesvirus (Gallid herpesvirus-1; GaHV-1), has been noticed in the region of the Terras Altas da Mantiqueira, Minas Gerais. From 2010 to 2018, the “Serviço Veterinário Oficial” (SVO) of the “Instituto Mineiro Agropecuário” (IMA), implemented measures to prevent spread of the virus to other regions and control the disease in the area. Due to the close proximity and consequent epidemiological link among farms, the region was considered a unique epidemiological unit. To check the efficiency of the ILT control measures, we carried out: (1) a seroepidemiological survey, (2) questionnaires for evaluating biosecurity measures; and (3) an evaluation of the influence of farm population density on the occurrence of ILT. In 2016, 2017, and 2018, ILT was investigated using epidemiological and clinicopathological methods, along with GaHV-1 molecular detection. Serological survey was carried out on 24 farms in the quarantined region and on 13 farms from other regions of the state. In 2010 and 2018, questionnaires were applied to collect data and determine indicators of biosecurity practices in all farms of the quarantined area. The differences were then assessed (Wilcoxon’s p<0.05). The results indicated positive serology throughout the region, although only on four farms (16.6%) the chickens have clinical signs, macroscopic and histological lesions of ILT. The prevalence of viral infection increased from 2016 (27%) to 2017 (50%) and was higher in farms with a high stock density (p=0.033). No disease, virus or antibodies were detected in the farms outside of the quarantined area. Although the biosecurity indicators had improved on all farms in the quarantined area (p<0.05), the virus was active and circulating in the region. The contingency measures have contained the outbreak, but biosecurity practices are paramount in the control of new outbreaks. Official control will be maintained in the region, including surveillance of new cases and biosecurity procedures to mitigate the risk of the virus reaching other regions.

Abstract in Portuguese:

Laringotraqueíte infecciosa (LTI), causada por um alfaherpesvírus (herpesvírus Gallid-1; GaHV-1), foi observada na região das Terras Altas da Mantiqueira, Minas Gerais. De 2010 a 2018, o Serviço Veterinário Oficial (SVO) do Instituto Mineiro Agropecuário (IMA) implementou medidas para impedir a disseminação do vírus para outras regiões do estado e controlar a doença na região interditada. Devido à proximidade e consequente vínculo epidemiológico entre as granjas, a região foi considerada uma unidade epidemiológica única. Para verificar a eficiência das medidas de controle de LTI, foram realizados: (1) pesquisa soroepidemiológica, (2) questionários para avaliar medidas de biosseguridade; e (3) avaliação da influência da densidade populacional da granja na ocorrência de LTI. Em 2016, 2017 e 2018, a LTI foi investigada usando métodos epidemiológicos e clínico-patológicos, com a detecção molecular de GaHV-1. O levantamento sorológico foi realizado em 24 granjas da região interditada e em 13 granjas de outras regiões do estado. Em 2010 e 2018, foram aplicados questionários para coletar dados e determinar indicadores de medidas de biosseguridade em todas as granjas da área interditada. As diferenças foram avaliadas (p<0,05 de Wilcoxon). Os resultados indicaram sorologia positiva em toda a região, embora apenas em quatro granjas (16,6%) as galinhas apresentaram sinais clínicos, lesões macroscópicas e histológicas da LTI. A prevalência de infecção viral aumentou de 2016 (27%) para 2017 (50%) e foi maior em fazendas com alta densidade de alojamento (p=0,033). Presença da doença, vírus ou anticorpos foram detectados nas granjas fora da área interditada. Embora os indicadores de biosseguridade tenham melhorado em todas as fazendas da área interditada (p<0,05), o vírus está ativo e circulava na região. As medidas de contingência contiveram o surto, mas as práticas de biosseguridade são fundamentais para o controle de novos surtos. O controle oficial será mantido na região, incluindo a vigilância de novos casos e procedimentos de biosseguridade para mitigar o risco de transmissão do vírus para outras regiões.


#3 - Stomatitis vesicular in cattle and horse in the Maranhão state, 35(5):391-395

Abstract in English:

ABSTRACT.- Arruda R.C.N., Segundo J.M.F., Soares B.A., Martins N.R.S., Barçante T.A. & Barçante J.M.P. 2015. [Stomatitis vesicular in cattle and horse in the Maranhão state.] Investigação epidemiológica de Estomatite vesicular por achados clínicos em bovinos e equinos no Estado do Maranhão. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(5):391-395. Laboratório de Biologia Parasitária, Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Campus Universitário, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: tbarcante@gmail.com Vesicular stomatitis (VS) is an infectious viral disease that affects bovines, equines, swine, wild animals and humans. As it is indistinguishable from other vesicular diseases, mainly Foot and Mouth Disease (FMD), it causes restrictions in commercial livestock trade at national and international levels and also significant economic losses. As the epidemiology and maintenance of VS virus in nature are not clearly understood it is difficult to take effective control measures. VS was diagnosed in some regions of Brazil, such as Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo and Alagoas. Cattle and horses with clinical symptoms of drooling, shedding of the lingual epithelium, presence of vesicles on the oral mucosa were observed and reported to the National Animal Health Office health of Maranhão State, Brazil. Samples of serum of these animals were collected and sent to Laboratório Nacional de Agropecuaria for ELISA and virus neutralization and differential diagnosis for Foot and Mouth Disease (FMD). The results of ELISA confirmed the VS. In the differential diagnosis, the results were negative for FMD. Samples of bovine epithelial tissue for VS by PCR confirmation of diagnosis were collected and sent to Biological Institute of São Paulo. Molecular results confirmed the Vesiculovirus Indiana III (Alagoas/VSAV) infection.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Arruda R.C.N., Segundo J.M.F., Soares B.A., Martins N.R.S., Barçante T.A. & Barçante J.M.P. 2015. [Stomatitis vesicular in cattle and horse in the Maranhão state.] Investigação epidemiológica de Estomatite vesicular por achados clínicos em bovinos e equinos no Estado do Maranhão. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(5):391-395. Laboratório de Biologia Parasitária, Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Campus Universitário, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: tbarcante@gmail.com A Estomatite Vesicular (EV) é uma doença infecciosa que acomete equinos, bovinos, suínos, mamíferos silvestres e humanos. Por apresentar sinais clínicos semelhantes a outras doenças vesiculares, principalmente, febre aftosa, sua presença em determinadas regiões pode interferir no intercâmbio comercial internacional dos animais, seus produtos e subprodutos. Apesar de sua importância, a epidemiologia e a manutenção do vírus no ambiente não estão totalmente esclarecidas dificultando a aplicação de medidas de controle efetivas. A doença já foi diagnosticada em todas as regiões brasileiras. Bovinos com sialorréia, perda do epitélio lingual, lesões abertas com bordas amareladas nas gengivas, lábios, língua e mucosa oral e equinos com sialorréia e lesões abertas na mucosa oral e lábios foram observados e notificados ao Serviço Veterinário Oficial do Estado do Maranhão, Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGRD/MA). Amostras de soro de equinos e bovinos com sintomas de EV foram coletadas para investigação por ELISA e por neutralização viral, além do diagnóstico diferencial para Febre Aftosa (FA). Fragmentos epiteliais de bovinos com lesões na língua foram coletados para identificação molecular do agente. Todos os animais foram negativos para FA. Todos os bovinos e equinos foram reativos para EV nos testes sorológicos. A partir dos fragmentos epiteliais de bovinos enviados ao Instituto Biológico de São Paulo para PCR, foi possível caracterizar o agente como Vesiculovirus Indiana III (Alagoas/VSAV).


#4 - Selection, characterization and cloning of the fljB and groEL genes agonists of the innate immune system pattern recognition receptors of birds, 34(3):217-223

Abstract in English:

ABSTRACT.- Soares B.A., Ságio S.A., Peconick A.P., Barrios P.R., Chalfun-Júnior A., Costa G.M., Barçante J.M. & Martins N.R.S. 2014. [Selection, characterization and cloning of the fljB and groEL genes agonists of the innate immune system pattern recognition receptors of birds.] Seleção, caracterização e clonagem dos genes fljB e groEL agonistas dos receptores de reconhecimento de padrão do sistema imune inato das aves. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(3):217-223. Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus UFLA, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: brunoantunes.soares@yahoo.com.br The recombinant production of innate immune system pattern recognition receptor agonists has provided a new tool for the production of immunostimulants for animals. The molecular pattern associated with the pathogen (PAMP), flagellin, coded by the fljB gene from Salmonella Typhimirium, and the molecular pattern associated to the damage (DAMP), HSP60, coded by the groEL gene from S. Typhimurium and S. Enteritidis, are recognized by pattern recognition receptors (PRRs) of the innate immune system of birds. In the present study, we performed the cloning of genetic fragments of the genes fljB, from S. Typhimurium, and groEL from S. Typhimurium and S. Enteritidis inserted in expression vector pET100/D-TOPO and transformed in E. coli TO10 cells. The clones were evaluated by colony PCR, plasmidial DNA PCR and genome sequencing in order to confirm the presence of these genes. In the colony PCR, we identified the presence of genes groEL (S. Enteritidis), groEL (S. Typhimurium) and fljB (S. Typhimurium) in 80%, 60% and 80% of the transformed colonies, respectively. The cloning system adopted allowed the production of HSP60 genetic fragment clones and flagellin of Salmonella strains, allowing the posterior use of these clones in gene expression trials, with the future potential of being used as non-specific immunostimulants for birds.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Soares B.A., Ságio S.A., Peconick A.P., Barrios P.R., Chalfun-Júnior A., Costa G.M., Barçante J.M. & Martins N.R.S. 2014. [Selection, characterization and cloning of the fljB and groEL genes agonists of the innate immune system pattern recognition receptors of birds.] Seleção, caracterização e clonagem dos genes fljB e groEL agonistas dos receptores de reconhecimento de padrão do sistema imune inato das aves. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(3):217-223. Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus UFLA, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: brunoantunes.soares@yahoo.com.br A produção recombinante de agonistas dos receptores do reconhecimento de padrão do sistema imune inato tem fornecido uma nova ferramenta para a produção de imunoestimulantes para animais. O padrão molecular associado ao patógeno (PAMP), flagelina, codificado pelo gene fljB de Salmonella Typhimurium e o padrão molecular associado ao dano (DAMP) HSP60, codificado pelo gene groEL da S. Typhimurium e S. Enteritidis, são reconhecidos por receptores de reconhecimento de padrões (RRPs) do sistema imune inato das aves. No presente estudo, foi feita a clonagem de fragmentos genéticos dos genes fljB de S. Typhimurium e groEL de S. Typhimurium e S. Enteritidis inseridos no vetor de expressão pET100/D-TOPO e transformados em células de E. coli TOP10. Os clones foram avaliados pela PCR de colônia, PCR de DNA plasmidial e sequenciamento genômico para a confirmação da presença desses genes. Na PCR de colônia, foram identificadas em 80%, 60% e 80% das colônias transformadas, a presença dos genes groEL (S. Enteritidis), groEL (S. Typhimurium) e fljB (S. Typhimurium) respectivamente. O sistema de clonagem adotado possibilitou a produção de clones dos fragmentos genéticos da HSP60 e flagelina das cepas de Salmonella, permitindo a utilização posterior desses clones em ensaios de expressão gênica, com potencial futuro de serem utilizados como imunoestimulante inespecífico das aves.


#5 - Outbreak of infectious laryngotracheitis in large multi-age egg layer chicken flocks in Minas Gerais, Brazil, 33(5):591-596

Abstract in English:

ABSTRACT.- Preis I.S., Braga J.F.V., Couto R.M., Brasil B.S.A.F., Martins N.R.S. & Ecco R. 2013. Outbreak of infectious laryngotracheitis in large multi-age egg layer chicken flocks in Minas Gerais, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(5):591-596. Setor de Patologia Veterinária, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos 6627, Belo Horizonte, MG 30123-970, Brazil. E-mail: ecco@vet.ufmg.br A recent (November 2010) outbreak of infectious laryngotracheitis (ILT) in a multi-age laying hen facility in Minas Gerais state, Brazil, is described. Previous ILT outbreak in laying hens was only notified in São Paulo state, Brazil, in 2002. In the outbreak described here, the affected population was approximately eight million hens, with flock sizes ranging from 100,000 to 2,900,000 chickens. The average mortality ranged from 1 to 6%, and morbidity was around 90% (most of the twenty seven farms of the area were positive for ILT virus). Three multi-age laying farms from one company were selected for this report. Clinical signs included prostration, dyspnea, conjunctivitis, occasional swelling of the paranasal sinuses and bloody mucous nasal discharge. Severely affected chickens presented with dyspnea, gasping and became cyanotic before death. At necropsy, these chickens had fibrinous exudate blocking the larynx and the lumen of cranial part of the trachea. In addition, conjunctivitis with intense hyperemia, edema and sinuses with caseous exudate were present. On histopathology, there were marked necrosis and desquamation of respiratory ephitelium and conjunctiva with numerous syncytial cells formation and fibrinous exudate. Moderate to marked non suppurative (especially lymphocytes and plasma cells) infiltration in the lamina propria also was observed. Sixteen out of 20 examined chickens, eosinophilic intranuclear inclusion bodies were observed in the syncytial cells. The DNA extracted from larynx and trachea produced positive PCR results for ILT virus (ILTV) DNA using formalin-fixed, paraffin embedded (FFPE) samples. Amplicons from a small region of ICP4 gene were submitted to sequencing and showed 100% identity with ILTV EU104910.1 (USA strain), 99% with ILTV JN596963.1 (Australian strain) and 91% with ILTV JN580316.1 (Gallid herpesvirus 1 CEO vaccine strain) and JN580315.1 (Gallid herpesvirus 1 TCO vaccine strain).

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Preis I.S., Braga J.F.V., Couto R.M., Brasil B.S.A.F., Martins N.R.S. & Ecco R. 2013. Outbreak of infectious laryngotracheitis in large multi-age egg layer chicken flocks in Minas Gerais, Brazil. [Surto de laringotraqueíte infecciosa em granjas de galinhas poedeiras de múltiplas idades em Minas Gerais, Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(5):591-596. Setor de Patologia Veterinária, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos 6627, Belo Horizonte, MG 30123-970, Brazil. E-mail: ecco@vet.ufmg.br Um surto recente (Novembro de 2010) de laringotraqueite infecciosa (LTI) em granjas de postura de múltiplas idades em Minas Gerais, Brasil, é descrito. Um surto de LTI em galinhas de postura havia sido previamente relatado apenas no Estado de São Paulo em 2002. No surto aqui descrito, a população afetada foi de aproximadamente oito milhões de galinhas, com lotes variando de 100.000 a 2.900.000 galinhas. A mortalidade média variou de 1 a 6% e a morbidade atingiu cerca de 90% (a maioria das 27 granjas foram positivas para o virus da LTI). Três granjas com aves de múltiplas idades pertencentes a uma empresa foram selecionadas para o presente relato. Os sinais clinicos incluíram prostração, dispneia, conjuntivite, edema ocasional dos seios paranasais e secreção nasal mucosa e/ou sanguinolenta. As aves severamente afetadas apresentaram acentuada dispneia, aparente engasgo e tornaram-se cianóticas antes da morte. Nestas aves, exsudato fibrinoso denso obstruindo o lúmen da laringe e parte cranial da traqueia foi observado na necropsia. Havia também, conjuntivite com hiperemia intensa e edema, além de sinusite com exsudato caseoso. Na histopatologia, observaram-se necrose e descamação acentuada do epitélio respiratório e da conjuntiva com formação de numerosos sincícios e exsudato fibrinoso. Além disso, infiltrado inflamatório mononuclear (especialmente linfócitos e plasmócitos) moderado a acentuado na lâmina própria foi observado. Corpúsculos de inclusão intranucleares nas células sinciciais foram observados em 16 das 20 aves examinadas. Resultados positivos pela PCR para o virus da LTI foram obtidos de DNA extraído das laringes e traqueias utilizando amostras fixadas em formol e incluidas na parafina. O produto amplificado de uma região pequena do gen ICP4 foi submetido ao sequenciamento e quando comparado com outras sequências depositadas no Genbank mostrou os seguintes resultados: 100% de identidade com uma estirpe do virus de LTI dos Estados Unidos (JN596963.1), 99% de identidade com uma estirpe Australiana e 91% com a estirpe vacinal CEO (JN580316.1) e TCO (JN580315.1).


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV
-->